"O tempo é valiosíssimo, mas não custa nada, podemos fazer o que quisermos com ele, menos possui-lo, podemos gasta-lo, mas não podemos guarda-lo. Quando o perdemos não podemos recupera-lo, "passou e pronto.!".

23.09.09

Corra na hora do almoço


O horário da refeição pode ser o único disponível para alguns corredores, por isso, veja como conciliar uma boa alimentação com os treinos

 


 

A corrida não é uma ciência exacta. Desta forma, nem tudo que está relacionado a este desporto deve, necessáriamente, ter uma ligação com tempos e horários. A princípio, falar em treino na hora do almoço pode parecer estranho, porém, muitas vezes, este é o único tempo hábil que alguns corredores dispõem para dar suas corridas.

Os sessenta minutos disponíveis no dia para fazer a refeição podem ser bem aproveitados para um treino, como explica Cássio Eduardo Lembo, personal trainer e professor da Metas Desporto.

“Normalmente, as pessoas têm uma hora de almoço. Desta forma, o treino pode ser dividido para que o atleta corra 30 minutos e separe mais um tempinho para o banho e o almoço. Se for no ginásio, o exercício é facilitado, pela questão da comodidade, do clima e do controle do tempo, porém, também existe a possibilidade de fazer o treino na rua, sem grandes problemas”.

Para a nutricionista desportiva
Priscila, como o exercício é realizado em um período em que o atleta está acostumado a comer, o cuidado com a alimentação antes do treino é muito importante.

“Uma alimentação antes da corrida sempre deve conter carboidratos com proteínas, e ser realizada entre 40 e 60 minutos antes do treino. Pão integral com proteína magra, como peito de peru, ricota temperada com ervas ou pasta de tofu é indicado. Iogurte desnatado com geleia de frutas ou com fruta picada também ajudam”, diz a nutricionista, que fala sobre a alimentação depois do treino.

“Após a prática desportiva, o corredor deve realizar uma refeição sólida, como um almoço bem equilibrado e completo, com todos os grupos alimentares, pois é o horário que o corpo melhor absorve os nutrientes que necessita”.

Que treino fazer?
Pela questão do tempo disponível, o atleta deve optar pelos treinos que não consumam um período muito longo, como os regenerativos ou de velocidade. “Neste horário, o atleta deve ser o mais objectivo possível, além de alternar os tipos de treino. Por exemplo, fazer um dia um treino mais leve, no outro um treino de velocidade, no outro de força e assim por diante”, diz Lembo, que completa.

“Porém, a grande utilidade que vejo em treinar neste horário é a quebra da rotina. O corredor que separa um horário do seu expediente para treinar volta muito mais concentrado para o trabalho, pois a corrida diminui o nível de cortisona, fazendo com que aumente a concentração e o raciocínio”.

A hidratação
Com o sol a pino é natural que o corpo do atleta necessite de mais líquidos. O indicado é que o corredor beba água durante todo o período da manhã. “Ao longo do dia, a hidratação tem que ser um dos focos principais, especialmente quando estiver muito quente. Em alguns casos, e apenas indicado pelo nutricionista, o uso de bebidas desportivas pode ser indicado em corridas longas, para facilitar a hidratação”, diz Priscila.

“Falar sobre hidratação para corredores é chover no molhado, mas é sempre importante lembrar da sua importância. Com o calor, o corpo necessita se refrescar e a sede é uma mensagem mandada pelo cérebro para que o atleta reponha o que está perdendo. Por ser um horário que tende a estar mais quente, a atenção deve ser redobrada, e a água deve ser ingerida antes, durante e depois do treino”, completa Lembo.


tags:
publicado por Zé às 07:57

Um espaço onde pode informar-se sobre aspectos relacionados com a corrida, alimentação, exercícios, nutrição, treinos, lesões etc,etc. Email:jmsesteves@mail.pt
Visitas/Tradutor
English French German Spain Italian