"O tempo é valiosíssimo, mas não custa nada, podemos fazer o que quisermos com ele, menos possui-lo, podemos gasta-lo, mas não podemos guarda-lo. Quando o perdemos não podemos recupera-lo, "passou e pronto.!".

25.06.13


Veja como este repouso activo pode ajudar na recuperação da musculatura e evitar lesões decorrentes de uma prova ou de um treino puxado.

Muito se fala sobre a importância do descanso para quem pratica um desporto como a corrida. Porém, não pense que o repouso só é válido quando o atleta deixa de fazer qualquer esforço físico. O treino regenerativo, considerado um repouso activo, consiste em uma actividade de baixa intensidade, como uma caminhada ou corrida leve, que ajuda na recuperação do corpo do atleta após um desempenho de exigência alta. “Este tipo de treino é mais indicado para o período que vem depois de um exercício mais intenso, como no dia seguinte de uma prova ou de um trabalho mais puxado. Deve ser praticado com uma frequência cardíaca muito baixa, e todo corredor pode incluí-lo em seu exercício, independente do seu nível”, explica Nelson Evêncio, diretor técnico da Nelson Evêncio Assessoria desportiva.

As vantagens
Incluir o trabalho regenerativo na seu plano de treino pode trazer uma série de vantagens, como fala Luís Eduardo Tavares, diretor técnico da Equipa de Corredores Tavares. “Esse tipo de treino auxilia na recuperação da musculatura. Após um exercício físico, principalmente os mais intensos, surgem as microlesões, que podem ser curadas com mais facilidade se o corredor usar essa actividade, considerada como parte do descanso, em seu dia-a-dia”, diz o treinador, que completa. “Além disso, se houver exagero na intensidade, o atleta pode vir a sofrer lesões mais graves ou até atingir o overtraining”.
Além de ajudar na reestruturação e firmação do organismo, o treino regenerativo mantém um ritmo de treino, como acrescenta Evêncio. “Se optar pelo trabalho regenerativo, em vez da pausa total, o corredor mantém um certo nível de treino e deixa seu organismo mais preparado para os próximos treinos”, afirma o treinador, que comenta sobre o ácido láctico. “Há um mito que sugere que o treino regenerativo pode ajudar a remover o ácido láctico, mas isso é lenda, já que o corpo consegue se livrar dessas substâncias em um período de duas horas após o exercício”, completa.

Como fazer
“Todo corredor pode e deve incluir o treino regenerativo nos seus trabalhos de corrida, porém, é claro que a maneira como esse treino vai ser feito varia de acordo com o nível do atleta”, explica Tavares, que completa. Se o corredor é mais experiente, e acabou de correr uma maratona, por exemplo, pode fazer uns trotes mais leves, durante uma semana ou duas, para que se recupere bem. Já um iniciante pode optar pela caminhada em alguns dias da semana”.

tags:
publicado por Zé às 08:15

Um espaço onde pode informar-se sobre aspectos relacionados com a corrida, alimentação, exercícios, nutrição, treinos, lesões etc,etc. Email:jmsesteves@mail.pt
Visitas/Tradutor
English French German Spain Italian