"O tempo é valiosíssimo, mas não custa nada, podemos fazer o que quisermos com ele, menos possui-lo, podemos gasta-lo, mas não podemos guarda-lo. Quando o perdemos não podemos recupera-lo, "passou e pronto.!".

21.07.10

Alimentação para render por anos


Aprenda a escolher os alimentos certos para ter 50 anos (ou mais) e vitalidade de 30; as nutricionistas alertam que corredores, para suprir o desgaste, devem dar atenção redobrada ao que comem.

 

Ok! Que é preciso alimentar-se para manter-se vivo todo mundo sabe, e já é consenso: comer direito e de maneira balanceada traz mais saúde, evita doenças cardiovasculares, diabetes, obesidade e baixa imunidade.

E os maus hábitos nutricionais com mais de 50 anos? Os efeitos são ainda mais potencializados. De acordo com a especialista em nutrologia pela ABRAN, Tamara Mazaracki, a partir dos 50 anos o funcionamento orgânico é mais lento, o estômago e o pâncreas têm dificuldade em produzir as enzimas digestivas e o intestino menos capacidade de absorver nutrientes. “Nesta idade, também começa a diminuir a proporção de massa muscular e gordura, há diminuição do gasto metabólico e, assim, o organismo necessita de menos caloria”, explica a nutricionista.

Tamara ressalta as possibilidades de novos problemas de saúde, uma vez que geralmente diminui-se a ingestão alimentar quando há ganho de peso: “Nessa situação, existe o perigo de ingerir menos nutrientes importantes, como vitaminas e minerais, e optar por alimentos que contenham calorias vazias, que não proporcionam nada de bom ao organismo”, completa.

A solução para não ganhar peso nem perder nutrientes essenciais à saúde é praticar esportes aeróbicos para queimar gordura ingerida, certo? Errado. Quem responde é a nutricionista Ana Beatriz Barella, da RG Nutri, que acrescenta ser essencial ao esportista com mais de 50 anos ter cuidado redobrado com a escolha de alimentos, mais do que o sedentário.

A nutrição tem um papel fundamental na manutenção da saúde, prevenindo lesões musculares e patologias associadas ao stresse fisiológico causado pelo esforço. “Desportos como a corrida fazem muito bem para o organismo, no entanto, a alta intensidade ou longa duração está associada com a maior produção de radicais livres, que consomem os antioxidantes da corrente sangüínea, produzindo lesões celulares e comprometendo a defesa do organismo”, avalia Ana.

Por isso, a alimentação deve garantir anti-radicais livres suficientes para uma boa recuperação, um sistema imunológico eficiente, menos colesterol ruim e calorias balanceadas, pois há quem pratique corrida e ainda engorde, se não vigiar o consumo de alimentos calóricos.

Importância da alimentação balanceada
Comer os nutrientes errados ou em quantidades desequilibradas ocasiona doenças e baixo rendimento para corredores de qualquer idade, principalmente quem tem mais de 50 anos.

Assim, atenção:

• A desnutrição protéico-calórica leva à fadiga.
• Há maior suscetibilidade a infecções.
• Ocasiona deficiência de cálcio (podendo levar à osteoporose) e zinco (baixa imunidade).
• O excesso de calorias e gorduras ocasiona, além da obesidade, aumento da pressão arterial, diabetes e arterioesclerose.

publicado por Zé às 12:31

Um espaço onde pode informar-se sobre aspectos relacionados com a corrida, alimentação, exercícios, nutrição, treinos, lesões etc,etc. Email:jmsesteves@mail.pt
Visitas/Tradutor
English French German Spain Italian