"O tempo é valiosíssimo, mas não custa nada, podemos fazer o que quisermos com ele, menos possui-lo, podemos gasta-lo, mas não podemos guarda-lo. Quando o perdemos não podemos recupera-lo, "passou e pronto.!".

15.01.11

Uma análise conduzida pelo departamento de nutrição da Loma Linda University, na Califórnia, que juntou 25 estudos previamente publicados, onde estiveram envolvidos 583 homens e mulheres, confirmou os efeitos benéficos da ingestão de frutos secos sobre as gorduras sanguíneas, tendo em conta que nenhum dos indivíduos tomava medicação para baixar os colesterol.

Interpretando os dados, os investigadores chegaram à conclusão de que o consumo diário de 67 gramas de frutos secos produziu os seguintes resultados: o colesterol total diminui 5,1%, o LDL (”mau colesterol”) diminui 7,4% e houve uma diminuição significativa dos triglicéridos (10,2%) . Tudo isto contribui para um baixo índice de risco de doença cardiovascular.

O que sabemos sobre o colesterol?

O colesterol é uma gordura produzida pelo organismo, sobretudo pelo fígado(70%), e que é essencial na formação de membranas celulares (presentes no coração, músculo, esqueleto, intestinos ou sistema nervoso) e produção de hormonas, logo, indispensável para as nossas funções vitais. Apenas 30% do colesterol é que provém de fontes alimentares, nomeadamente, das gorduras saturadas (exemplo: charcutaria, laticínios gordos e carnes vermelhas). O importante é saber distinguir o “bom colesterol” – HDL – do “mau colesterol” – LDL -, e esta distinção deve-se à forma particular que cada um se desloca no sangue. O HDL transporta o colesterol dos vasos sanguíneos para o fígado, enquanto o LDL conduz o colesterol em excesso para dentro das células, que revestem as paredes dos vasos sanguíneos, o que poderá potenciar um processo de aterosclerose.

O que sabemos sobre os frutos secos?

Os frutos secos são grandes fornecedores de gordura monoinsaturada e polinsaturada, inevitavelmente muito calóricos (média 600 kcal/ 100g), mas bastante ricos em alguns minerais, tais como o cálcio, ferro e fósforo. Os que nos são mais familiares e presentes nesta época natalícia são: nozes, amêndoas, avelãs, castanha de caju, pinhões, pistácios e amendoins. Quando pensamos em cálcio associamos logo ao consumo de leite, e esquecemos a existência de outros alimentos mais ricos neste mineral. Além da evidência da superioridade de cálcio que as amêndoas possuem, temos também elevados valores de outros minerais. Além disso, não temos presença de colesterol e as gorduras que maioritariamente as constituem são as “boas”.

CONCLUSÃO

É fundamental fazer análises de rotina, avaliando o seu estado geral de saúde. O tratamento para um colesterol elevado passa por uma mudança no estilo de vida ao nível da alimentação e do exercício, reduzindo os alimentos de origem animal (carnes vermelhas, lacticínios gordos e produtos de charcutaria), dando preferência aos alimentos ricos em ómega 3 (ex.: sardinha, salmão, óleo de soja). Deve também consumir mais fibras (fruta, vegetais e cereais integrais), de modo a facilitar a eliminação do colesterol das paredes dos vasos sanguíneos, azeite e outras gorduras polinsaturadas, assim como praticar uma actividade física regular. E, claro, não esqueça os nossos frutos secos (sem sal).

publicado por Zé às 11:00

Um espaço onde pode informar-se sobre aspectos relacionados com a corrida, alimentação, exercícios, nutrição, treinos, lesões etc,etc. Email:jmsesteves@mail.pt
Visitas/Tradutor
English French German Spain Italian