"O tempo é valiosíssimo, mas não custa nada, podemos fazer o que quisermos com ele, menos possui-lo, podemos gasta-lo, mas não podemos guarda-lo. Quando o perdemos não podemos recupera-lo, "passou e pronto.!".

05.07.11

Veja como uma ingestão adequada de nutrientes pode ajudar a evitar os sintomas do excesso de treino

 


O overtraining é caracterizado funcionalmente como um estado de alerta para sobrevivência, e não uma adaptação – ou seja – todas as respostas orgânicas são para PROTECÇÃO. É caracterizado pelo excesso de treino físico que resultou em efeitos adversos à saúde. O treino produz trauma na musculatura esquelética, gerando uma inflamação local que, quando associada ao treino repetitivo excessivo e pouco descanso, gera uma resposta INFLAMATÓRIA SISTÊMICA.
E os principais sintomas e alterações ocorridas no overtraining são: Baixa performance em competições e incapacidade de manter o treino;
Alteração do estado de humor; Alteração dos padrões de imunidade, como aumento no risco de infecções do trato respiratório superior (especialmente nos atletas de endurance); Catabolismo protéico; Fadiga persistente; Distúrbios do sono;
Dentre outros parâmetros endócrinos e bioquímicos que ficam alterados…
Portanto, cansaço e overtraining são coisas diferentes. Um dia ou dois de descanso de um treino intenso e você está bem, sem alterações de humor, sono e imunidade, provavelmente você estava cansado, e precisa passar por essa fase, faz parte do treino! Mas se seu corpo não anda respondendo dessa foma, você pode estar sob estado de overtraining. A Nutrição Desportiva Funcional tem papel relevante na saúde do desportista e do atleta, ofertando nutrientes adequados para cada fase de treino, favorecendo o equilíbrio corporal como um todo. Quem treina com baixas reservas de carbohidratos, por exemplo, aumenta na circulação hormônios do stresse e causa perturbação no sistema imune, predispondo o atleta a um estado de imunossupressão e ao overtraining propriamente dito. Uma alimentação rica em vitaminas, minerais e fitoquímicos são importantes não apenas para a performance, melhorando rendimento e recuperação, mas optimiza todos os aspectos que envolvem a saúde geral de quem treina com seriedade. O uso de alguns suplementos desportivos podem fazer parte da prescrição do profissional Nutricionista, como glutamina, ácidos graxos ômega-3, antioxidantes etc. E para corrigir o estado de disbiose, caso esteja presente (que vai aumentar a absorção de substâncias tóxicas, sobrecarregando função hepática), podem ser necessários uso de prébioticos e probióticos. Deve-se tomar muito cuidado com a “auto-suplementaçao”, pois quando mal empregada, pode piorar ainda mais o quadro! O objetivo da alimentação funcional e da suplementação em caso de overtraining é quebrar o ciclo da ativação do sistema imunológico e de fadiga, sempre em associação ao trabalho do treinador e do médico. Garanta sempre uma boa alimentação, orientada por um Nutricionista Desportivo, periodização de treino garantida por um treinador habilitado, e descanso reparador. Ouvindo bem os sinais que seu corpo envia você pode evitar (e muito!) o aparecimento do overtraining e garantir mais saúde e performance.

publicado por Zé às 12:58

Um espaço onde pode informar-se sobre aspectos relacionados com a corrida, alimentação, exercícios, nutrição, treinos, lesões etc,etc. Email:jmsesteves@mail.pt
Visitas/Tradutor
English French German Spain Italian