"O tempo é valiosíssimo, mas não custa nada, podemos fazer o que quisermos com ele, menos possui-lo, podemos gasta-lo, mas não podemos guarda-lo. Quando o perdemos não podemos recupera-lo, "passou e pronto.!".

03.08.12

Veja porque deve redobrar a atenção com o seu intestino e confira algumas dicas de como aproveitar melhor o que cada alimento pode lhe oferecer.

* Por Priscila Di Ciero

Pensar em ganhar massa muscular, perder gordura, melhorar performance esportiva, combater lesões e melhorar a imunidade são os objectivos de quase todos praticantes de actividade física. Mas nem sempre essas pessoas cuidam da chave de todo esse processo: o intestino! Sim, é o órgão que receberá os nutrientes a serem distribuídos para os tecidos de importância ímpar no organismo: fígado, músculos, cérebro, ossos, tendões, etc. O intestino humano possui 10 vezes mais bactérias e 100 vezes mais material genético do que todo o corpo. A microbiota apresenta um complexo equilíbrio entre microorganismos, que também têm papel na imunidade, e é composta pela interação das:

- BACTÉRIAS PROBIÓTICAS: aquelas com efeitos benéficos ao organismo, de 11 a 13% do conteúdo total presente;

- BACTÉRIAS COMENSAIS: compreendem a maior parte das bactérias, equilibrando ou desequilibrando o intestino. Como vivemos em dinamismo, essas bactérias são eliminadas pelas fezes, tornando a colonização do intestino temporária. Por isso, precisamos estar sempre vigilantes em busca deste equilíbrio;

- BACTÉRIAS PATOGÊNICAS: podem causar doenças agudas ou crônicas quando se proliferam. Suas toxinas lesionam o intestino e são absorvidas pela corrente sanguínea, causando problemas.

As bactérias probióticas são essenciais para manutenção de nossa saúde por quê: sintetizam vitamina do complexo B e vitamina K; participam na síntese de enzimas digestivas (lactose, por exemplo); regulam o trânsito intestinal; auxiliam na limpeza corporal por ajudar a varrer toxinas de medicamentos, hormônios, metais tóxicos e substâncias cancerígenas; produzem anticorpos, substâncias antimicrobianas; participam da produção intestinal de substancias antiinflamatórias. Vários factores influenciam a microbiota, como o envelhecimento, o uso de alguns medicamentos, como os antibióticos, e maus hábitos alimentares, que a degradam muito. Tudo isso leva a um estado de disbiose intestinal. Assim como você cuida de sua pele, segue os planos de treino, procura repousar para repor energias e se suplementar, passar a ter cuidado constante do intestino se faz necessário.


- REMOVER: muda-se a dieta restringindo consumo de alguns alimentos de acordo com a anamnese do paciente. Restringir laticínios e glúten pode ser necessário dependendo do caso;

- REINOCULAR: repor probióticos e prebióticos (fibras que irão alimentar essas bactérias, propiciando seu crescimento);

- RECOLOCAR: foco nas enzimas digestivas e reequilibrar as concentrações de ácido clorídrico estomacal;

- REPARAR: introdução de uma dieta não irritativa e rica em nutrientes (muitas vezes são utilizados até suplementos feitos em farmácia de manipulação); Se você quer melhorar a sua performance, foque também cuidados com seu intestino e procure um nutricionista desportivo.

Quatro dicas práticas da nutricionista:

- Limite o consumo de café, refrigerantes, frituras e alimentos industrializados. São eles que irritam constantemente a mucosa intestinal;

- Forneça alimentos ricos em FOS – sigla de FRUTOOLIGOSSACARÍDEO – e amido resistente. São estes tipos de fibras que alimentam as bactérias intestinais, produzindo substâncias protetoras através do processo de fermentação. Exemplo: biomassa e farinha de banana verde, cebola, alho, chicória, mel, etc;

- Combata a constipação: o organismo faz uma reabsorção de água (“suja”) e oriundas das fezes acumuladas, intoxicando ainda mais o corpo. Aumente a hidratação, inclua o farelo de arroz, a semente de linhaça/chia e até o óleo de coco, que podem ajudam a melhorar evacuação;

- Melhore a sua digestão, e consequentemente, seu processo de absorção de nutrientes: chá de ervas como hortelã, alecrim e sálvia podem ser interessantes quando consumidos antes e/ou após as refeições.

publicado por Zé às 22:18

Um espaço onde pode informar-se sobre aspectos relacionados com a corrida, alimentação, exercícios, nutrição, treinos, lesões etc,etc. Email:jmsesteves@mail.pt
Visitas/Tradutor
English French German Spain Italian